TABELA IRPF 2019 — Confira os Valores da Alíquotas

Todos os meses, os empregadores são obrigados a descontar de seus funcionários um valor referente a tabela IRPF 2019. Apesar de esse ser um assunto de grande importância, poucas pessoas realmente compreendem.

Ela é definida todos os anos, e mostra quais são os valores a serem descontados. É fundamental conhecer bem para não ter nenhum valor indevido retirado de seu bolso.

Entenda melhor o que é a tabela IRPF, e o que, exatamente, são as tais das alíquotas. Tire suas dúvidas também sobre a obrigatoriedade da declaração. Essas e outras informações estão nesse conteúdo exclusivo.

O que é a Tabela IRPF 2019?

A Tabela IRPF é estabelecida para que se tenha uma base referente ao valor a ser descontado todos os meses do salário. Esse desconto acontece em folha, e é cobrado de trabalhadores regulares devidamente registrados.

TABELA IRPF 2019

É essencial que a cada novo ano, os trabalhadores se informem a respeito dos ajustes nos valores.

A partir da tabela IRPF 2019, a Receita Federal consegue calcular os rendimentos de cada cidadão, e também os descontos das deduções. Com isso, chega-se a um resultado de alíquota e parcela a deduzir.

Alíquotas IRPF 2019

TABELA IRPF 2019

A alíquota está presente na vida de todos os cidadãos. Trata-se de uma variável de um cálculo tributário. Isso significa que a taxa varia de acordo com o valor sobre o qual ela está sendo pensada.

Sendo assim, um salário mais alto terá uma base de alíquota na tabela IRPF mais alta, enquanto salários mais baixos possuem alíquotas mais baixas.

Neste calendário, alíquota do IRPF 2019 representa um percentual de desconto sobre a base do salário recebido. Assim sendo, ela maior faz com que o desconto seja maior também.

Por isso mesmo é crucial compreender como funciona a tabela IRPF 2019, e acima de tudo compreender o impacto da alíquota sobre essa tabela, e sobre todos os serviços e produtos tributáveis.

Quem deve declarar o IRPF 2019

A declaração do Imposto de Renda é uma espécie de prestação de contas que o cidadão faz com o governo através da Receita Federal. No entanto, ela não é obrigatória a todos os cidadãos.

Veja quais são alguns dos tópicos considerados na obrigatoriedade:


01. Pessoas que receberam no ano anterior valores tributáveis acima de R$ 28.559,70. Conta-se salários, aposentadoria, pensão, entre outros.


02. Pessoas que receberam valores não tributáveis superiores a 40 mil reais. Nesse caso inclui-se indenização trabalhista ou rendimento de caderneta de poupança.


03. Atividade rural com receita bruta superior a R$ 142.798,50;


04. Pessoas que possuam bens materiais com valor superior a 300 mil reais (carros, imóveis, etc).;


05. Acionistas da Bolsa;


06. Pessoas que vieram morar no Brasil definitivamente;


07. Pessoas que tiveram ganho de capital na venda de bens e direitos e pagou imposto.


Declaração de IRPF 2019

Agora que você já entendeu o que é a tabela IRPF, é hora de saber como fazer a declaração.  Acompanhe o passo a passo abaixo para compreender melhor todo o procedimento:

TABELA IRPF 2019


Passo 01. Comece baixando o programa oficial para declarar – idg.receita.fazenda.gov.br. Quem declarou no ano anterior, pode apenas atualizar o programa já existente seguindo para menu Ferramentas – Verificar Atualizações.


Passo 02. Na primeira página do programa você deverá escolher entre as opções: importar dados da declaração anterior ou começar uma nova declaração.


Passo 03. Depois disso, escolha “Declaração de Ajuste Anual”, e inclua o seu CPF para começar a sua prestação de contas. Prossiga escolhendo entre o modelo com desconto de 20% (limitado a R$ 16.754,34), ou completo, para se usar as deduções legais.


Passo 04. Feita essa introdução, é hora de preencher os campos com as informações necessárias. Você deverá acessar as abas, e preencher aquilo que está de acordo com a sua situação.


Passo 05. Inclua seguro desemprego, rescisão contratual, e quaisquer outros valores que tenham entrado em seu rendimento.


Passo 06. Depois disso, vá para o “Resumo da Declaração” e depois o “Cálculo do Imposto”. Clique para enviar e guarde o comprovante.

Conheça a tabela IRPF 2019 para não ter descontos indevidos, e entenda os valores restituídos. E caso tenha ficado com algum tipo de dúvida, deixe o seu comentário logo abaixo e aguarde nossa resposta.


Prazo IRPF 2019

Para que o contribuinte fique ligado, o prazo IRPF costuma ser divulgado com muita antecedência, além de ser uma informação muito divulgada. Caso você seja o perfil que acompanha noticiários, possui acesso à internet ou mantém contato com outras pessoas, com certeza vai ficar sabendo disso de alguma forma.

Desde 2018, que o prazo começou a ser contado no primeiro dia do mês de março, com o prazo máximo finalizado no dia 30 de abril, as 23h59. Ou seja, o período de tempo para o IRPF foram dois meses exatos.

O contribuinte que não cumprir com este período estipulado pelo IRPF 2019, está correndo riscos a multas. No ano de 2018 a multa mínima declarada foi de R$ 165,74 (cento e sessenta e cinco e setenta e quatro centavos) com taxa máxima de 20% do imposto devido. No fim de tudo, e é um bom dinheiro perdido.

Cronograma IRPF 2019

Após toda ansiedade e correria para fazer a declaração, e estar respirando tranquilamente por estar em dia com o prazo do IRPF, vem a pergunta: como será o cronograma de restituição dos valores?

Então, explicando em miúdos, o cronograma do IR – Imposto de renda leva em consideração sempre a ordem de entrega da declaração. Isso significa que o contribuinte que se organizou e declarou logo no inicio, começa a receber a restituição mais rapidamente.

Além disso, existem também outros grupos de contribuintes com prioridade que podem receber antes, como:

  • Maiores de 80 anos;
  • Portadores de moléstias graves;
  • Contribuintes portadores de deficiência física ou mental;
  • Contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Veja abaixo também o cronograma para o contribuinte que cumpriu o prazo IRPF:

  • 1º lote: 16 de junho;
  • 2º lote: 17 de julho;
  • 3º lote: 15 de agosto;
  • 4º lote: 15 de setembro;
  • 5º lote: 16 de outubro;
  • 6º lote: 16 de novembro;
  • 7º lote: 15 de dezembro.

Então, sabendo sobre todas essas informações, agora é só não dar mole na hora de de verificar e receber a (tão esperada) restituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *